O equipo (galego)

A equipa está formado por

RAQUEL REI  / Ideia, Guiom, Direçom e Produçom

PAULA CURCIO / Produçom e Gravaçom de som

KIM BRINK / Direçom de Fotografia e Cámara

ANTÓN CORBAL / Cámara

FELIPE MORAN / Montagem

HABELAS HAINAS / Música

EICB / 2MENTES / Produtora

RICARDO AKERSHTEIN / Produtor executivo

CURRICULA

RAQUEL REI

Raquel Rei nasce en Moar, numha pequena aldeia do interior da Galiza. Estuda Magistério na USC e Comunicaçom Audiovisual na UDC. Ao mesmo tempo que acaba os seus estudos, comeza a trabalhar como editora de vídeo para o diário digital A Nosa Terra. Depois de dous anos passa a trabalhar por conta própria como cámara e montadora enquanto continua a sua formaçom académica com o Mestrado en Comunicaçom e Indústrias Criativas na USC e o Mestrado Internacional em Documentário na Escola de Cinema de Barcelona.

No ano 2008 cria com Andrea Nunes o coletivo poético-audiovisual As Candongas do Quirombo através do qual dá saída à sua criatividade mais experimental. Os videopoemas som a sua marca de identidade criando um estilo próprio onde se reinventa a poesia escrita em imagens. Alguns dos títulos mais relevantes som Helena a Escuras, Coda, Todas as Mulleres que Fun, (ganhadora de diversos prémios) e Peça per Peça que fai parte do filme coletivo Ferida Arrel: Maria-Mercè Marçal.

Abertas a outros ámbitos do audiovisual, As Candongas produzem em 2010 o documentário A Memoria da Lingua, um filme sobre a situaçom sociolingüística do galego. Já em 2011 e 2012 criam Microdocus: Do Mar e Outros Ladrillos, um conjunto de curtas documentais em que se denúncia o eco-terrorismo que está destroçando o meio ambiente na Galiza.

Durante o ano académico 2011-12, Raquel viaja a Barcelona para realizar o Mestrado Internacional em Documentário na Escola de Cinema de Barcelona. Como resultado do projeto final cria e dirige o documentário Deu centímetres Més a Prop del Cel, umha curta de 25 minutos onde os sapatos de tacom se convertem na metáfora que nos convida a reflexionar sobre como é o mundo polo qual caminhamos.

Toda a sua obra pode ver-se em https://vimeo.com/raquelrei/videos e https://vimeo.com/ascandongas

PAULA CURCIO

Paula Curcio nasceu en Uruguai há 26 anos. Fala espanhol e inglês com fluência.

Estudou durante três anos a licenciatura em Ciências da Comunicaçom e depois na escola de cinema Dodecá por um período de dous anos. Já em 2012 freqüenta o Mestrado Internacional em Documentário na Escola de Cinema de Barcelona.

Neste momento encontra-se na etapa de desenvolvimento do documentário El Yihad de las Mujeres que trata sobre a luita interna das mulheres paquistanesas que moram em Barcelona, centrando-se na adaptaçom e a superaçom pessoal, perante umha situaçom desfavorecida em todos os sentidos.

Pola outra banda, recentemente colaborou en dous projetos produzidos pola ECIB. Fijo de montadora no documentário Els fantasmes del Call Jueu de Agustina González e na gravaçom de som ao vivo e produçom em geral em Deu centímetres més a prop del cel, dirigido por Raquel Rei.

Ao mesmo tempo colabora desde outubro de 2011 na área de investigaçom em Otoxo Productions, produtora de documentários fundada en Barcelona em 2008. http://www.otoxoproductions.com.

Participou na realizaçom de diferentes curtas como Aníbal (2006) e La Pròrroga (9 min. 2008).
Fijo o desenho e montagem dum spot para Ronda de Mujeres com material de arquivo (2011).
Também realizou o desenho de som na curta documental Coffee & Cigarettes dentro das 11th Interaction Filmcamp, Sèrbia (2011).

A sua experiência extracurricular está composta pola assistência de produçom da mini-série de fiçom para a televisom Correr el riesgo emitida em Montecarlo, Uruguai em 2010. Por outra banda, trabalhou também na assistência de produçom e imprensa do festival do cinema independente Film festival del Clarejar Nómade para a alfabetizaçom e democratización do cinema com baixo orçamento.

Como complemento à carreira de comunicaçom audiovisual realizou diversos cursos e obradoiros com realizadores de prestígio dentro dos quais destaca o de Produçomn Executiva com Fernando Epstein (Control Z Films) no Museu Gurvich através de FORMATA Montevideo (Montevideo, Setembro / Outubro 2009).

No seu interesse polo cinema no seu conjunto achegou-se a cursos e obradoiros de fotografia, ediçom de vídeo e som para compreender os usos e possibilidades das dimensons do film. Exemplo disto é o obradoiro cursado de Sonido e imágenes: una relación impugnada na Fundación de Arte Contemporáneo de Montevideo a cargo de Mark Street, Professor Assistent d’Arts Visuals de Fordham University.

Umha amostra do resultado desta exploraçom é o clip promocional para o evento cultural Ronda de Mujeres, na ediçom Ellos también Querían realizado completamente com material de arquivo. Pode ver-se em http://www.youtube.com/watch?v=C92IKDeT-wM.

KIM BRINK

Kim Brink é jornalista audiovisual de Holanda. Estudou na escola de jornalismo de Utrecht e aproveitou os seus estudos para fazer as cousas dumha maneira diferente. Foi à universidade de Damasco para assistir a um curso sobre comunicaçom internacional e fijo práticas em Uruguai onde realizou os títulos para um dos programas mais famosos do país.

Desde 2010 mora em Barcelona e trabalha como freelance ralizando vídeos, fotos e publicaçons em revistas e diários tanto holandeses como espanhois.

Pode dizer-se que está casada com a sua Canon 7D com a qual fai todo o relacionado com o vídeo: o conceito, a gravaçom e a ediçom.

FELIPE MORAN

• No ano 2009 contratárom-no para a campanha publicitária para a prefeitura da cidade de Guadalaxara, Jalisco, México sendo o encargado da produçom audiovisual, das estratégias de comunicaçom em meios e coordinador de meios.

• Desde 2005 trabalha para o Congreso do Estado de Jalisco, encargando-se do departamento de Produçom Audiovisual. Exerce labores de realizaçom de vídeos institucionais, campanhas publicitárias e é produtor dum programa semanal de TV chamado A favor.

• Entre 2004 e 2005 foi colaborador em Ciudadanos del Mundo2, empresa dedicada à produçom de Rádio e Revistas.

Era o encargado de realizar a maqueta da revista mensual também chamada Ciudadanos del Mundo e produtor dum programa de rádio sob o mesmo nome com umha programaçom de duas horas semanais em Madrid, Espanha.

• No ano 2001 e até 2003, trabalhou para a empresa Promomedios de Occidente no departamento da produçom audiovisual TV FESTA como produtor e realizador de seçons para seis programas internacionais de televisom com umha transmisom diária.

• No 2000 e 2001 foi contratado por C7, Sistema Jalisciense de rádio e televisom sendo encargado do máster de transmisom.

Estudos

• Mestrado Internacional de Documentário. Escola de Cinema de Barcelona. ECIB.

• Mestrado em Produçom Cinematográfica. Escola Forma e Trama, Madrid, Espanha.

• Mestrado em Artes escénicas CECAO. Guadalajara, Jalisco México.

• Diplomado em Animaçom 3d, 3D Max e Maya.

• Diplomado em montagem com Final Cut, Adobe Premiere e Avid.

• Diplomado em Adobe Illustrator.

• Diplomado em Adobe Photoshop.

• Licenciado em Ciências da Comunicaçom com especialización em produçons audiovisuais na Universidade del Val de Atemajac, UNIVA, Guadalajara, Jalisco, México.


HABELAS HAINAS

É no ano 2009 cando se cruzan os camiños destas catro mulleres de ampla traxectoria no mundo da música tradicional, para crear o proxecto Habelas Hainas. Coas mesmas inquedanzas musicais e vitais, forman un quebracabezas onde as catro se xuntan e complementan de xeito persoal. A súa versatilidade vai alén do feito de seren multinstrumentistas, e lévaas a explorar outros eidos artísticos como a treatralidade e as artes plásticas e visuais, facendo de cada espectáculo algo diferente e senlleiro.

Compostela é o decorado onde se dá a luz o proxecto que dunha forma directa, conecta coa xente de a pé en rúas, calexas, prazas, locais e escenarios.

O seu punto de partida é a música tradicional e de raíz, sentíndose parte dunha tradición longa e viva da que xorde a natural necesidade de expresárense, sempre dende unha ollada feminina e plural. Isto lévaas a explorar outras músicas, crear os seus propios temas e experimentar coa tradición. Esta permanente inquedanza reflíctese na indagación e aproveitamento dos diferentes recursos dos instrumentos tradicionais, creando un son enérxico, fresco e orixinal.

Habelas Hainas son:

Sandra Tamayo: acordeón, gaita, pandeiro cadrado…

Patricia Gamallo: gaita, saxo alto, pandeiro cadrado…

Arantza Alfaia: tamboril, caixón peruano, derbuka…

Jara Ortiz: voz, bombo, pandeireta, crótalos árabes…